Partnerships for the production of patents through the CT-Petro sector fund

Authors

DOI:

https://doi.org/10.31686/ijier.vol8.iss4.2266

Keywords:

Public-Private Partnerships, Patents, Sector Fund, Public Resources

Abstract

This paper seeks to investigate whether Brazilian public policies to encourage public-private partnerships for patent development through the CT-Petro Sector Fund were effective. This fund was created with the objective of developing the Brazilian petrochemical industry after the breach of the Petrobras monopoly in the late 1990s. Until that time, this state company developed all research in this sector. The structure of this article begins with the bibliographic survey of the agents involved in this production chain and how they organized to maintain the productive level of R&D. Finding out about the transfer of funds through FINEP public notices, researchers and companies were attracted and encouraged to create products and services. Whether competition between companies has resulted in improvements to the development of patents for the industry in question. Aiming to demonstrate the interest of the state in transferring its former predominant role to agents Companies and Universities (and/or Research Centers).

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

Author Biographies

Rosa Elaine Andrade Santos, Federal University of Sergipe

Graduate Program in Intellectual Property Science.
Administrative Technician in Education – Federal Institute of Sergipe

Gilberto Andrade dos Santos, UniAGES - University Center AGES

Finance Department

Gabriel Francisco da Silva, Federal University of Sergipe

Graduate Program in Intellectual Property Science

Suzana Leitão Russo, Federal University of Sergipe

Graduate Program in Intellectual Property Science

References

[1] ANP – Agência Nacional de Petróleo. Petróleo e Estado. Rio de Janeiro. 2015. Disponível em: http://www.anp.gov.br/images/publicacoes/livros_e_revistas/livro-petroleo-e-estado-ANP.pdf. Acesso em abr/2019.

[2] ARCURI, M. Políticas de CT&I e Financiamento Público à Infraestrutura de CT&I: Comparações Internacionais e Mapeamento da Infraestrutura Nacional. Cap. 14. E-book: Sistemas Setoriais de Inovação e Infraestrutura de Pesquisa no Brasil. Orgs: NEGRI, F. de; SQUEFF, F. de H. S. IPEA. FINEP. CNPq. Brasília. DF. 2016. Pg. 581-616. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=27203. Acesso em: jan/fev de 2019.

[3] BLIND, K.; POHLISCH, J.; ZI, A.; Publishing, patenting, and standardization: Motives and barriers of scientists. Research Policy. 47 . 2018. Pg. 1185–1197. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0048733318300696. Acesso em: jun/2019.

[4] BRASIL. Decreto nº 1.808, de 07 de fevereiro de 1996. Aprova o Estatuto da Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D1808.htm. Acesso em: mar de 2019.

[5] _______. Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9279.htm. Acesso em: jun de 2019.

[6] _______. Lei nº 9.478, de 06 de agosto de 1997. Dispõe sobre a política energética nacional, as atividades relativas ao monopólio do petróleo, institui o Conselho Nacional de Política Energética e a Agência Nacional do Petróleo e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9478.htm. Acesso em: jan de 2019.

[7] _______. Decreto nº 2.851, de 30 de novembro de 1998. Dispõe sobre programas de amparo à pesquisa científica e tecnológica aplicados à indústria do petróleo, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D2851.htm. Acesso em: mar de 2019.

[8] _______. Lei nº 11.540, de 12 de novembro de 2007. Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – FNDCT; altera o Decreto-Lei nº 719, de 31 de julho de 1969, e a Lei nº 9.478, de 6 de agosto de 1997; e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Lei/L11540.htm. Acesso em: mar de 2019.

[9] _______. Decreto nº 6.938, de 13 de agosto de 2009. Regulamenta a Lei no 11.540, de 12 de novembro de 2007, que dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - FNDCT, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D6938.htm. Acesso em: mar de 2019.

[10] CLARKE, N. S.; The Basics of Patent Searching. World Patent Information. 54. 2018. S4-S10. Disponível em: https://www.journals.elsevier.com/world-patent-information. Acesso em: jul de 2019.

[11] DE-CARLI, E.; SEGATTO, A. P.; ALVES, F. S.; KURIBARA, F. M.; Characterization on the patents deposits from Brazil’s Public Research Institutes from 2004 to 2013. RAI – Revista de Administração e Inovação, 14, 2017, p.168-177. Disponível em: www.rai-imr.com.br/pt/RAI. Acesso em: mai/2019.

[12] FABRIS, J. P. Conexões entre Empresas e Universidades. Tese de Doutorado em Ciência da Propriedade Intelectual. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Propriedade Intelectual. Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão. SE. 2016.

[13] FERNANDES, L. M. R. A FINEP e a Inovação nas Empresas. Estudos e Pesquisas Nº 236. In: XX Fórum Nacional Brasil “Um Novo Mundo nos Trópicos”. Anais FINEP. Rio de Janeiro. 2008.

[14] FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos. Disponível em: www.finep.gov.br. Acesso em: mar/2019.

[15] ____________________________________. Diretrizes Gerais. Plano Nacional de Ciência e Tecnologia do Setor Petróleo e Gás Natural – CTPetro. Versão 1. Dez. 1999.

[16] FURTADO, A. T.; FREITAS, A. G. Nacionalismo e Aprendizagem no Programa de Águas Profundas da Petrobras. Revista Brasileira de Inovação, v. 3, n. 1, p. 55-86, 17 ago. 2009.

[17] FURLAN JUNIOR, T.J. A Política Científica e Tecnológica no Brasil e a Racionalidade Inovacionista. Revista Espaço Acadêmico. Nº 165. Fevereiro. 2015. Mensal. Ano XIV. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/25706

[18] GUPTA, K. Oil price shocks, competition, and oil & gas stock returns — Global evidence. Energy Economics 57. 2016. Pg. 140–153. Disponível em: www.elsevier.com/locate/eneeco. Acesso em: mar/2019.

[19] INPI – Instituto Nacional de Propriedade Industrial. Disponível em: http://www.inpi.gov.br/. Acesso em: mai/2019.

[20] MCT – Ministério da Ciência e Tecnologia. Plano Nacional de Ciência e Tecnologia do Setor Petróleo e Gás Natural. Diretrizes Gerais. Versão 1. Portaria MCT 552 de 08/12/1999. Disponível em: https://www.mctic.gov.br/mctic/opencms/fundos/fndct/fundos_CeT/ct_petro/ct_petro.html. Acesso em: jan de 2019.

[21] MIRANDA, P.; ZUCOLOTO, G.; Conhecimento com Perfil Inovador nas Infraestruturas Científicas e Tecnológicas no Brasil. Radar – Tecnologia, Produção e Comércio Exterior. Nº 37. Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação, Regulação e Infraestrutura. IPEA. Fev. 2015. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/radar/radar_37_27022015.pdf. Acesso em: abr/2019.

[22] MELO, L.M. de. Financiamento à Inovação no Brasil: análise da aplicação dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) e da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) de 1967 a 2006. Revista Brasileira de Inovação, Rio de Janeiro (RJ), 8 (1), p.87-120, janeiro/junho 2009. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648976/15523. Acesso em: jan de 2019.

[23] MORAIS, J. M. de; TURCHI, L.; Infraestrutura Científica e Tecnológica do Setor de Petróleo e Gás Natural no Brasil. Cap. 7. E-book: Sistemas Setoriais de Inovação e Infraestrutura de Pesquisa no Brasil. Orgs: NEGRI, F. de; SQUEFF, F. de H. S. IPEA. FINEP. CNPq. Brasília. DF. 2016. Pg. 315-366. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=27203. Acesso em: jan/fev de 2019.

[24] NEGRI, F. de; RAUEN, A. T.; SQUEFF, F. de H. S.; Ciência, Inovação e Produtividade: Por uma Nova Geração de Políticas Públicas. Cap. 11. Desafios da Nação – Artigos de Apoio. Volume 1. Orgs: NEGRI, J. A. de; ARAÚJO, B. C.; BACELETTE, R. Brasília. IPEA. 2018.

[25] NEGRI, F. de; SQUEFF, F. de H. S. O Mapeamento da Infraestrutura Científica e Tecnológica no Brasil. Cap. 1. E-book: Sistemas Setoriais de Inovação e Infraestrutura de Pesquisa no Brasil. Orgs: NEGRI, F. de; SQUEFF, F. de H. S. IPEA. FINEP. CNPq. Brasília. DF. 2016. Pg. 15-62. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=27203. Acesso em: jan/fev de 2019.

[26] NOGUEIRA, G. A. S.; PCT Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes. Curso de Extensão em Propriedade Intelectual. Diretoria de Patentes – INPI. UnB. Brasília. DF. Agosto de 2013.

[27] OMPI – Organização Mundial da Propriedade Intelectual. Curso DL101PBR – DL- 101 Curso Geral de Propriedade Intelectual – DL101PBR. 2016.

[28]______________________________________________. Disponível em: https://www.wipo.int/about-wipo/pt/offices/brazil/index.html. Acesso em: mai/2019.

[29] OVERLAND, I. Future Petroleum Geopolitics: Consequences of Climate Policy and Unconventional Oil and Gas. Sustainability of Energy Systems. Energy vs. Development. Wiley Online Library. 2015. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/9781118991978.hces203. Acesso em: jan de 2019.

[30] QUEIROZ, N. M. Os Fundos Setoriais de CT&I: o caso do CT-Petro e sua execução pelo CNPq. Dissertação de Mestrado. Centro de Desenvolvimento Sustentável. Universidade de Brasília. Brasília. DF. 2006. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/4771

[31] SANTOS, G. R. dos. Características da Infraestrutura de Pesquisas em Energias Renováveis no Brasil. Cap. 5. E-book: Sistemas Setoriais de Inovação e Infraestrutura de Pesquisa no Brasil. Orgs: NEGRI, F. de; SQUEFF, F. de H. S. IPEA. FINEP. CNPq. Brasília. DF. 2016. Pg. 229-270. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=27203. Acesso em: jan/fev de 2019.

[32] SARWAR, S.; SHAHBAZ, M.; ANWAR, A.; TIWARI, A. K.; The importance of oil assets for portfolio optimization: The analysis of firm level stocks. Energy Economics 78. 2019. Pg. 217–234. Disponível em: www.elsevier.com/locate/eneeco. Acesso em: mar de 2019.

[33] SCHIAVI, M. T.; HOFFMANN, W. A. M.; Cenário Petrolífero: Sua Evolução, Principais Produtores e Tecnologias. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação. V. 13. N. 2. P.259-278. Maio/ago. 2015. Disponível em: http://periodicos.bc.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci. Acesso em: jun de 2019.

[34] SENADO. Relatório CCT – Avaliação de Políticas Públicas. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática. Fundos de Incentivo ao Desenvolvimento Tecnológico. Brasília. DF. 2016. Disponível em: http://legis.senado.leg.br/comissoes/comissao;jsessionid=40CC56D0FEB47563FD0AB66BB0EF48CC?0&codcol=1363. Acesso em: mar/abr 2019.

[35] TIRONI, L. F.; Serviços Tecnológicos nas Estatísticas Nacionais e na Inovação. Radar – Tecnologia, Produção e Comércio Exterior. Nº 40. Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação, Regulação e Infraestrutura. IPEA. Ago. 2015. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=26143. Acesso em: abr 2019.

[36] TURCHI, L. M.; ARCURI, M. Interação Institutos Públicos de Pesquisas e Empresas: Avaliação das Parcerias. Cap. 3. E-book: Políticas de Apoio à Inovação Tecnológica no Brasil: Avanços Recentes, Limitações e Propostas de Ações. Orgs: TURCHI, L. M.; MORAIS, J. M. de. IPEA. Brasília. DF. 2017. Pg. 81-112. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=30774. Acesso em: jan/fev de 2019.

[37] VEN, D. J. van de; FOUQUET, R. Historical energy price shocks and their changing effects on the economy. Energy Economics Vol. 62. 2017. Pg.204–216. Disponível em: www.elsevier.com/locate/eneeco. Acesso em: fev de 2019.
A.B. Smith, C.D. Jones, and E.F. Roberts, “Article Title,” Journal, Publisher, Location, Date, pp. 1-10.

Downloads

Published

2020-04-01
CITATION
DOI: 10.31686/ijier.vol8.iss4.2266

How to Cite

Santos, R. E. A., Santos, G. A. dos, Silva, G. F. da, & Russo, S. L. (2020). Partnerships for the production of patents through the CT-Petro sector fund. International Journal for Innovation Education and Research, 8(4), 74–102. https://doi.org/10.31686/ijier.vol8.iss4.2266
Received 2020-03-08
Published 2020-04-01

Most read articles by the same author(s)

1 2 > >>